Grã-Bretanha alcança melhor campanha olímpica de sua história, na Rio 2016

Destacado

Depois de terminar os Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, na 36º colocação do quadro geral de medalhas, com 15 conquistas, a Grã-Bretanha embarcou em uma crescente participação nos pódios. Passados 20 anos, os britânicos encerraram a Rio 2016 na segunda posição, com 67 medalhas, atrás somente dos Estados Unidos.

Além da evolução, o TeamGB alcançou outros grandes feitos. Isso porquê, com a marca atingida no Brasil, os britânicos se tornaram os primeiros da história da competição a melhorarem sua campanha da edição em que sediou para a posterior. Além disso, as 67 medalhas conquistadas garantiram sua melhor marca já registrada em Olimpíadas, superando a de Londres, há quatro anos, quando conseguiu 65.

Quatorze medalhas dessa campanha vitoriosa estamparam o peito de atletas que estiveram em fase final de preparação no Centro de Treinamento Esportivo (CTE), da UFMG. Das modalidades que treinaram no CTE, somente no tiro com arco não houve conquistas. Já o atletismo, a natação e o rugby garantiram lugares no pódio.

 

Atletismo

Com um total de sete medalhas, o atletismo britânico subiu aos três lugares do pódio, sendo dois ouros, uma prata e quatro bronzes. O destaque vai para o atleta Moh Farah, que repetiu o feito de Londres e fez a bandeira britânica ser hasteada ao ponto mais alto por duas vezes na Rio 2016.

Maior nome das provas de fundo do atletismo na atualidade, Moh Farah venceu os 10.000m e os 5.000m rasos. Em entrevista ao canal SporTV, após a conquista do bicampeonato olímpico, o atleta demonstrou sua satisfação em competir no Brasil, deixando em aberto sua participação nos Jogos de Tóquio, em 2020.

“Isso é o tipo de coisa que acontece uma vez na vida. Vir e ganhar no Brasil, você não espera acontecer, então, estou aproveitando cada momento. Estou com 33 anos, vamos ver o que vai acontecer. Fiquei muito feliz de competir em casa e no Brasil, mas não sei se chegarei a Tóquio, daqui a quatro anos”, disse Moh Farah.


Moh Farah, na prova de 5.000m (Foto: Ezra Shaw/Getty Images)

 

Além dele, quem também marcou presença no pódio foi a atleta Jéssica Ennis-Hill, medalhista de prata no heptatlo. A atleta chegou à Rio 2016 como campeã olímpica da modalidade, depois de sofrer uma lesão no tornozelo em 2013 e ter seu primeiro filho em 2014. Passadas essas situações que a tiraram dos treinamentos por um tempo, Jéssica intensificou os trabalhos e conseguiu a única medalha britânica de prata no atletismo, nesta edição dos Jogos Olímpicos.


Jéssica Ennis-Hill foi ouro em Londres 2012 e prata na Rio 2016 (Foto: Adrian Dennis/AFP/Getty Images)

 

Para completar o pódio do TeamGB no atletismo, tiveram também quatro medalhas de bronze. Sophie Hitchon, no lançamento do martelo, alcançou um novo recorde britânico com a marca de 74,54m, subindo da quinta à terceira posição em seu último lançamento. Greg Rutherford, no salto em distância, chegou à Rio 2016 com ocampeão olímpico da modalidade e também levou o bronze. Além dos dois, os revezamentos 4x100m e 4x400m, ambos femininos, conquistaram o terceiro lugar.


Sophie Hitchon e Greg Rutherford (Fotos: Johannes Eisele/AFP/Getty Images e Matthias Hangst/Getty Images, respectivamente)

 


Medalhistas dos revezamentos 4x400m e 4x100m, respectivamente (Fotos: Patrick Smith/Getty Images)

 

Natação

 

A piscina dos Jogos Olímpicos também levou os britânicos ao pódio, com um ouro e cinco pratas. Um dos grandes nomes da delegação, o campeão olímpico Adam Peaty quebrou o recorde mundial por duas vezes na prova de 100m peito: nas eliminatórias e na final.

Primeiro, nadou em 57s55, batendo o recorde estabelecido por ele próprio no ano passado, quando conseguiu fazer a prova em 57s92. Na grande final, o jovem de 21 anos desbancou nomes como o experiente Cameron Van Der Burgh e o americano Cody Miller, em 57s13, estabelecendo o novo recorde mundial da prova.


Adam Peaty fez sua estreia em Olimpíadas garantindo um ouro nos 100m peito e prata no revezamento 4×100 medley (Foto: NurPhoto/Getty Images)

 

As cinco pratas foram conquistadas em três provas individuais e dois revezamentos. A nadadora Jazz Carlin, de 25 anos, subiu ao pódio duas vezes, conquistando o segundo lugar nas provas de 400m e 800m livre. Nos 200m medley, Siobhan Marie O’Connor, de 20 anos, também levou a prata. Os revezamentos foram os masculinos das provas de 4x100m medley e 4x200m livre.


Jazz Carlin e Siobhan Marie O’Connor (Fotos: Jean Catuffe/Getty Images e Odd Andersen/AFP/Getty Images, respectivamente)

Medalhistas dos revezamentos 4x100m medley (esq) e 4x200m livre (Fotos: Martin Bureau/AFP/Getty Images e Odd Andersen/AFP/Getty Images, respectivamente)

 

Rugby

Na estreia do rubgy de 7 (nome da modalidade para sete jogadores) nos Jogos Olímpicos, a Grã-Bretanha conquistou a prata. A modalidade, que exige muita velocidade e bravura de seus atletas, já esteve presente nas edições de 1900 e 1924, mas na versão com 15 jogadores.


Atletas britânicos do rugby de 7 (Foto: John Macdougall/AFP/GettyImages)

TEAM GB recebe a visita de crianças em treino aberto no CTE

Destacado

Às vésperas da cerimônia de abertura oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016, os atletas representantes do TEAM GB (equipe da Grã-Bretanha) nas provas de atletismo da Olimpíada seguem treinando nas pistas do Centro de Treinamento Esportivo (CTE), da UFMG.

Mesmo nesta corrida contra o tempo, os atletas entre um alongamento e outro receberam uma visita especial na última sexta-feira, 05 de agosto. Durante a manhã, aconteceu uma ação promovida pela Assessoria de Relações Internacionais do Governo do Estado em parceria com a Secretaria de Educação (SEE) e com o Núcleo de Articulação em Minas 2016.

O projeto denominado “Welcome Great Britain Minas 2016″ consistiu em um concurso desenvolvido em dezessete regiões do estado mineiro, entre escolas estaduais e municipais, onde os alunos sob a orientação dos professores de inglês deveriam produzir cartões de boas-vindas para a delegação britânica.

Os vencedores do concurso foram escolhidos por meio de uma votação online e os donos dos cartões preferidos do público foram selecionados para representarem suas escolas no momento da entrega aos atletas.


Membros do TEAM GB receberam os alunos que produziram os cartões vencedores

Macaé Evaristo, Secretária Estadual de Educação, foi uma das organizadoras da ação. A Secretária destacou a importância do momento olímpico para a formação de crianças e jovens em um ideário de convivência, respeito e solidariedade entre todos os povos.

A secretária também explicou sobre o outro objetivo da ação, o de apresentar a hospitalidade mineira para o resto do mundo. “Nós queríamos demonstrar esse carinho, esse acolhimento, esse jeito que Minas Gerais tem de receber bem as pessoas de qualquer lugar do mundo”, contou a Secretária de Educação.

Entre os presentes, estavam os atletas Kelly Massey, Harry Aitkins-Areetey, Louise Bloor, Jazmin Sawyers e Ojie Edoborun, representantes da equipe de atletismo britânica, que receberam os cartões desenhados pelas crianças e se emocionaram diversas vezes com o carinho recebido.


As atletas da equipe britânica, Louise Bloor e Kelly Massey e o cônsul do Reino Unido em Minas, Thomas Nemes, ficaram contentes com os cartões

Após a interação com os atletas, as crianças também puderam assistir o treinamento dos esportistas que são as grandes esperanças de medalha da Grã-Bretanha nesta Olimpíada, como a atleta Christine Ohuruogu, especialista da prova de 400 metros rasos.

Os alunos das escolas estaduais e municipais de Minas Gerais ficaram empolgados com a presença da equipe britânica. “Foi muito bom. Eu gostei de ver os atletas e é muito legal vê-los participando dos Jogos Olímpicos. Vou me lembrar pra sempre disso.”, contou Carlos Eduardo, aluno do quinto ano da Escola Estadual Cabana Pai Tomás.


Carlos Eduardo e os professores de educação física da Escola Estadual Cabana Pai Tomás. O aluno contou que quer competir pelo atletismo ou pela natação no futuro

Festa

Um dos ápices do ‘Welcome Great Britain Minas 2016’ foi a apresentação musical das crianças de algumas das escolas convidadas.

Os atletas já muito emocionados também se divertiram e dançaram com os ritmos do tambor brasileiro tocados pelas crianças da rede estadual e desenvolvido com materiais recicláveis.


A atleta Jazmin Sawyers aproveitou para registrar o momento

Memória

Em agradecimento ao carinho recebido às vésperas de competições tão importantes, a equipe do TEAM GB entregou camisas e bonés que levam o escudo da delegação aos alunos e professores das escolas.

Inspiração


Paul Ford posou com as crianças que participaram do evento

Entre o inglês dos britânicos e o sotaque mineiro, a palavra mais recorrente na manhã de sexta-feira foi ‘inspiração’. De modo consensual, líderes da educação no Estado, atletas e membros da delegação britânica deram ênfase à importância do esporte para inspirar as crianças que ali estiveram e às milhões que assistem os Jogos Olímpicos a praticarem mais esportes e também motivar aquelas que tem o sonho de se tornarem atletas.

A visita das crianças das redes estadual e municipal de Belo Horizonte foi vista com grande entusiasmo por Thomas Nemes, cônsul do Reino Unido em Minas Gerais e por Paul Ford, coordenador da Delegação Britânica que destacaram todo o legado olímpico deixado pela passagem dos atletas britânicos pelo CTE  para inspirar as novas gerações de atletas.  “Essa é a essência do esporte. As Olimpíadas inspiram as pessoas, e as crianças acabam inspirando nossos atletas”, contou Paul.

Sonho Olímpico


Igor e Emanuele sob o cuidado da Secretária de Educação, Macaé Evaristo, são os donos de alguns dos cartões mais votados. 

“Sou fã do Usain Bolt e sempre quis conhecer corredores profissionais. Corro lá na rua de casa e sonho um dia participar das Olimpíadas”, contou Igor Felipe de 10 anos. Igor é aluno do quinto ano da Escola Estadual Cabana Pai Tomás e dono de um dos cartões mais votados pela internet.

Assim como outras crianças ali presentes, Igor revelou o sonho de ser um dos futuros atletas da Delegação Brasileira e da equipe de atletismo. A visita ao CTE proporcionou a estas crianças a oportunidade de conhecer um espaço para treinamentos de alto nível e despertar os seus maiores sonhos.

Confira aqui a galeria de fotos do evento 

 

Nadadores do Team GB seguem treinando no CTE

Destacado

A piscina olímpica do Centro de Treinamento Esportivo (CTE), da UFMG, continua recebendo o período final de aclimatação dos nadadores britânicos. No último sábado, 29 de julho, os atletas intensificaram os treinamentos, e foi possível conferir os momentos finais da preparação dos principais nadadores do Team GB para os Jogos Olímpicos Rio-2016.


Nadadores estreiam nos Jogos Olímpicos no sábado, 6 de agosto

Esperança de ouro da natação britânica

Um dos grandes destaques da delegação britânica e promessa de medalhas para o país na natação, é o atleta Adam Peaty, de 21 anos, que chega à competição como recordista da prova de 50m e 100m peito, sendo a última, ao lado da prova de 200m peito, as disputadas nos Jogos.


Adam Peaty compete pela primeira vez em uma Olimpíada e é a maior chance de ouro da natação britânica

 

O jovem britânico estendeu elogios à estrutura do CTE, apontando a boa preparação que toda a equipe tem tido, em circunstâncias que atendem a tudo o que precisavam.“As vibes são boas, no treino está tudo muito bem. O time está em ótima forma. Aqui temos uma estrutura incrível. Minha preparação foi muito boa, estou muito relaxado. Aqui tem tudo que eu precisava. Descansei o corpo e a mente para a próxima semana”, analisou o nadador.

No ano passado, aos 20 anos, Peaty atingiu o feito de ser o primeiro homem a bater a marca de 58 segundos na prova de 100m peito, onde nadou em 57s92, em disputa do campeonato nacional, vencendo o tempo de 58s46, alcançado pelo potente nadador sul-africano Cameron van der Burgh nessa prova, nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Campeão das provas de 50m e 100m peito no Mundial de Esportes Aquáticos de Kazan, na Rússia, no ano passado, desbancando, justamente, Burgh nas duas, Peaty chega para sua primeira participação em Olimpíadas confiante na equipe que defende e no alcance de novas marcas.

“É minha primeira vez aqui, mas não é minha primeira competição. Muitos dos atletas estão competindo nos Jogos Olímpicos pela primeira vez. Minha experiência com o Mundial me ajudou muito, estou acostumado com grandes competições e venho trabalhando muito para esse momento. Sou competitivo, sei quais objetivos quero atingir e tenho tudo planejado de forma clara. Acho que agora só preciso relaxar para a semana que vem e estou confiante pela preparação que já vem sendo feita junto com toda a equipe”, relatou Peaty.

O britânico reforçou que quer manter o foco em sua primeira participação em Olimpíadas, rechaçando qualquer tipo de pressão, mesmo diante da magnitude da competição. “Nessa ocasião dos Jogos Olímpicos existe mais mídia, mais exposição e a visibilidade de tudo se torna maior. Eu acredito que tenho que ter muita autoconfiança e estou centrado em atingir minhas marcas. Acredito muito na equipe da Grã Bretanha e estamos concentrados, mesmo com toda exposição. Me sinto bem com minhas próprias expectativas nessa primeira Olímpiada e espero atingir minhas marcas”, completou Adam Peaty, maior esperança da natação masculina britânica.

Na pontaria: Arqueiros treinam no CTE

Destacado

O Centro de Treinamento Esportivo (CTE), da UFMG, tem recebido a preparação do grupo de atletas do tiro com arco. Os arqueiros Naomi Folkard e Patrick Huston são a grande aposta do Team GB para os Jogos Olímpicos Rio-2016.

Naomi Folkard, medalhista em várias edições do Campeonato Mundial de Tiro com Arco, elogiou as instalações montadas na pista de atletismo para o treinamento da modalidade. Na pista foi construída uma plataforma a 100 metros dos dois alvos, onde os atletas puderam finalizar sua preparação para a competição que acontece no próximo sábado, 06 de agosto.

 

Além das instalações criadas para a prática do esporte, as salas de fisioterapia e musculação no CTE também foram aprovadas pelos atletas. “O espaço da UFMG é muito bom. É ótimo atirar aqui. Estive dentro da área de condicionamento e de fortalecimento, a academia é absolutamente incrível”, contou Patrick Huston, atleta do Team GB há quatro anos.


Patrick Huston é atleta do Team GB e o primeiro atleta a competir nos Jogos Rio-2016

Os arqueiros serão os primeiros atletas do Team GB a disputar os Jogos Olímpicos do Rio, Patrick Huston, medalhista de ouro no Campeonato Mundial de Tiro com Arco em Marrakech, também destacou sua expectativa para o torneio. “Serei o primeiro atleta do time britânico a competir nas Olimpíadas, os outros atletas ainda terão de aguardar até duas semanas”, comentou.

Na pontaria 


Naomi Folkard já compete há 20 anos e está empolgada para inspirar a nova geração de atletas

O tiro com arco é um esporte tradicional nos Jogos Olímpicos, participando do maior evento multiesportivo global desde 1900.  No entanto, foi apenas nos últimos anos que a modalidade começou a se popularizar.

O atleta Patrick Huston também ressaltou o florescimento do tiro com arco em um contexto mundial. “O esporte está crescendo. A participação está crescendo em todo o mundo. Mais pessoas estão praticando, competindo e assistindo o tiro com arco”, destacou o atleta britânico.

CTE é destaque na imprensa mundial

Destacado

O Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da UFMG deixou de ser apenas a segunda-casa da delegação britânica, que treina no espaço desde o último sábado, 23 de julho, para tornar-se também o foco dos holofotes das imprensas nacional e internacional.

Reconhecido por sua infraestrutura altamente tecnológica e pelo trabalho desenvolvido por um corpo técnico e por um grupo de voluntários extremamente qualificados, o Centro abriu suas portas ontem à imprensa brasileira e aos veículos britânicos que puderam conferir o elevado nível das instalações que recebem os atletas.

Capa dos jornais Estado de Minas e Metro desta quinta-feira, 27 de julho, o CTE também foi alvo de diversas matérias e reportagens em veículos internacionais. Um dos mais importantes da Europa, o Daily Mail, publicou uma notícia que destaca a qualidade dos equipamentos e dos espaços de treinamento utilizados pela delegação ao dizer que a ‘base de treinamento britânica é a inveja do mundo’.


A matéria do tabloide britânico destaca o alto nível do espaço de treinamento do Team GB no CTE

Manchetes como “Encantados com estrutura de treinamento na capital, ingleses se dizem belo-horizontinos” e “’Melhor do Brasil’: Ingleses satisfeitos com BH” estamparam as versões impressas e web de veículos de grande relevância no cenário nacional, como os jornais O Tempo e Hoje em Dia, além de reportagens nos principais telejornais da Rede Globo e da Bandeirantes.

O Centro de Treinamento Esportivo da UFMG não apenas conquistou a imprensa, mas principalmente o corpo britânico que deseja prolongar sua estadia pela capital mineira durante todo o período olímpico.

A estrutura da UFMG que já atende 26 atletas da equipe de natação do Team GB, continua a receber nos próximos dias atletas de outras modalidades, como atletismo, rúgbi de sete e tiro com arco.

Confira na íntegra a repercussão do CTE na imprensa

Estrutura do CTE impressiona atletas britânicos e comissão técnica

Destacado

O Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da UFMG abriu suas portas para a imprensa mineira, através de uma visita guiada pelo coordenador geral da equipe olímpica britânica, Paul Ford, na tarde desta quarta-feira, 27 de julho. Paul apresentou as estruturas de treinamento do Team GB (nome do comitê olímpico britânico) a serem utilizadas pelas equipes de natação, atletismo, rúgbi sete e tiro com arco.


Paul destacou a ótima impressão da delegação inglesa em relação à preparação do CTE para recebê-los

Os jornalistas mineiros e britânicos, através de uma visita que durou cerca de uma hora, tiveram acesso às salas de musculação e ginástica, aos ambientes para treinamento de força e fisioterapia, à pista de atletismo e ao parque aquático. No início da apresentação também foi possível conferir o fim do treinamento de alguns nadadores na piscina e de outros atletas na academia.


Nesta quarta-feira, alguns atletas realizaram treinamentos na academia e outros na piscina

Os nadadores do Team GB realizam treinamentos nas instalações do CTE desde o último sábado, 23 de julho. A infraestrutura de padrão internacional acrescida da boa recepção dos funcionários e voluntários que trabalham no CTE vem despertando grande satisfação nos atletas e no comitê.

Em entrevista ao site da Federação Britânica de Natação, British Swimming, o técnico principal da equipe de natação da Grã-Bretanha, Bill Furniss, destacou o alto nível das estruturas do Centro de Treinamento. “A instalação da UFMG é simplesmente a melhor no Brasil”, ressaltou.

Já Paul Ford, chefe da delegação britânica mira nas futuras medalhas. “Estamos dando as melhores condições aos atletas. Para que assim, com muito trabalho e esforço eles possam obter bons resultados”, pontua.

Além de poderem desfrutar de uma pista de atletismo que recebeu certificação máxima da Federação Internacional de Atletismo (IAAF) e do parque aquático que conta com um moderno sistema de bordas móveis, pioneiro na América Latina, os atletas britânicos puderam se sentir em casa com a decoração do local. Por todo o espaço do Centro é possível encontrar objetos de decoração com as cores da Grã-Bretanha e mensagens  de apoio, tornando o espaço também um ambiente de relaxamento e lazer para os atletas e demais membros da equipe.

O diretor do Centro de Treinamento Esportivo, Luciano Sales Prado, ressaltou a  importância do corpo técnico do CTE, composto por profissionais de graduação, pós-graduação e professores da UFMG para o sucesso do Centro. “Essa estrutura toda num único local com todo o suporte dos profissionais e do grupo de voluntários faz com que eles se sintam em casa. Não é só a estrutura, mas tudo que está dentro dela também”, disse.


Luciano Sales Prado também acompanhou a imprensa e o comitê britânico durante a visita ao CTE

Luciano também pontuou que os britânicos pretendem prolongar sua estadia por Belo Horizonte. “A ideia deles é ficar a maior quantidade de tempo possível aqui em Belo Horizonte, porque as condições de treinamento aqui são muito boas”, contou.

Em casa

O sentimento de carinho do comitê britânico com a cidade de Belo Horizonte e com sua nova segunda-casa, o CTE, foi mencionado diversas vezes por Paul Ford em entrevista. O coordenador do Team GB afirmou já sentir-se um ‘belo-horizontino’.

Legado Olímpico

O Centro de Treinamento Esportivo também funcionará como uma importante base para a formação de atletas de alto nível. Com um eficiente corpo técnico e a estrutura já construída, os jovens que hoje treinam e compõem as equipes do CTE são as grandes esperanças para o futuro do esporte no Brasil.

Confira a galeria de fotos da visita ao CTE