Halterofilismo Paralímpico

A primeira participação do Halterofilismo nos Jogos Paralímpicos aconteceu no ano de 1964 em Tóquio, onde somente homens com lesão medular podiam participar, com o passar do tempo algumas evoluções surgiram em relação à modalidade. O Halterofilismo Paralímipico é um esporte de força que tem como única disciplina o supino adaptado. É livre a participação de atletas homens e mulheres que possuem impedimentos físicos elegíveis para disputa da modalidade.

Quem pode participar?

Para atuar no Halterofilismo Paralímpico o atleta deve apresentar uma deficiência física em decorrência de uma paralisia cerebral, lesões na medula espinhal, amputação dos membros inferiores, nanismo ou  sequelas da poliomielite. As deficiências deverão cumprir os critérios de elegibilidade da classificação esportiva Paralímpica.

Dinâmica da Competição

No Halterofilismo os atletas competem juntos na mesma modalidade, porém, em categorias de pesos diferentes, são dez categorias femininas e dez masculinas.

Deitado com as pernas sobre o banco, o atleta deverá baixar a barra até o peito, mantê-la imóvel e em seguida empurrar para cima voltando à posição inicial até que os cotovelos permaneçam totalmente travados. Durante a competição os atletas têm direito a três tentativas sendo o vencedor o atleta que levantar o maior peso em sua respectiva categoria.

Horários de Atendimento da Modalidade: Segunda a Sexta das 08:00 às 15:00

Tel: (31) 3409-3337

Email: esporteparalimpicoufmg@gmail.com